A garota do calendário: Fevereiro

Série: A garota do calendário

ISBN: 9788576865070

Páginas: 132

Editora: Verus

Data:

Compartilhe

Sinopse

Considerado pela imprensa americana o próximo 50 tons de cinza. Mais de 600 mil livros vendidos nos Estados Unidos em três meses. Direitos vendidos para cerca de 30 países.

Fenômeno editorial nos Estados Unidos com mais de 3 milhões de cópias vendidas.

Mia Saunders precisa de dinheiro. Muito dinheiro. Ela tem um ano para pagar o agiota que está ameaçando a vida de seu pai por causa de uma dívida de jogo. Um milhão de dólares, para ser mais exato. A missão de Mia é simples: trabalhar como acompanhante de luxo na empresa de sua tia e pagar mensalmente a dívida. Um mês em uma nova cidade com um homem rico, com quem ela não precisa transar se não quiser? Dinheiro fácil. Parte do plano é manter seu coração selado e os olhos na recompensa. Ao menos era assim que deveria ser…

Em fevereiro, Mia vai passar o mês em Seattle com Alec Dubois, um excêntrico artista francês. No papel de musa, ela vai embarcar em uma jornada de descobertas sexuais e lições sobre o amor e a vida que permanecerão com ela para sempre.

Alerta de spoiler:

Se você ainda não leu A garota do calendário: Fevereiro, o resumo a seguir pode conter spoiler. Se você não quiser ler o resumo, clique aqui para ler a minha opinião (sem spoiler).

Resumindo

Em Fevereiro, Mia tem um novo cliente. Ela vai para Seattle ser a musa inspiradora de Alec Dubois, um famoso artista francês parecido com Ben Afleck, ou seja, lindíssimo. A atração entre eles é imediata. Como musa, Mia é pintada e fotografada por Alec. O mês é intenso e os dias giram em torno de trabalho, sexo e comida. Entre fotos e pinturas, Alec mexe com os sentimentos de Mia, ensinando que existem diferentes formas de amar uma pessoa e fazendo-a se valorizar.

O que achei de A garota do calendário: Fevereiro

Como disse na resenha de A garota do calendário – Janeiro, eu não me animei muito com essa série e para mim, o mês de Fevereiro, foi bemm longo 😕 . Um livro pequeno que normalmente eu levaria algumas horinhas para ler, eu levei dias 😐 .

Assim como em Janeiro, achei a história superficial e continuo não sentindo simpatia por Mia. Me irritou o chilique dela sobre o dinheiro extra que recebeu por ter feito sexo com Wes e Alec. Ela assinou um contrato com uma cláusula sobre sexo e ficou claro no primeiro livro que ela entendeu bem essa cláusula e que até estaria disposta a usá-la. Agora vem dar chilique? Ser puritana?

Eu também não me apaixonei por Alec e achei que as falas em francês atrapalharam um pouco e ficaram chatas, pois toda hora, a autora tinha que traduzir o que ele disse. Ficou meio estranho no auge do sexo a Mia perguntando o significado do que ele disse 🙄 . Por outro lado, achei interessante a visão de amor de Alec e foi isso que deu um pequeno fôlego ao livro.

O livro não apresentou nenhuma novidade e foi bem previsível: muito sexo e romance superficial. Como comentei na resenha de Janeiro, vou continuar a ler a série, mas não vou correr desesperada para o próximo livro (acho que vou demorar um tempinho para me animar a ler o próximo 😳 ). Mas, se você gosta de literatura erótica e quer histórias descomplicadas, vale a pena conhecer a série A garota do calendário. 

Para quem quiser acompanhar a série e as resenhas:

  1. A garota do calendário: Janeiro
  2. A garota do calendário: Fevereiro
  3. A garota do calendário: Março
  4. A garota do calendário: Abril
  5. A garota do calendário: Maio

Vamos trocar figurinhas

Considerando a visão de amor de Alec, dou 2 estrelas para A garota do calendário: Fevereiro. E você que já leu A garota do calendário – Fevereiro, o que achou? Deixe sua opinião sobre o livro e a resenha. Se você ainda não leu, clique na capa dele ali no início e leia o primeiro capítulo gratuitamente.

Se quiser, pode encontrar A garota do calendário: Fevereiro nas seguintes lojas:

FNACSaraivaSubmarino

Relacionados


Compartilhe

Deixe um comentário